7 maneiras de ajudar um animal de rua

Se você é uma pessoa humana, com certeza já se entristeceu com a situação dos animais que foram maltratados e abandonados.

Atualmente, segundo o IBGE, mais de 30 milhões de cães e gatos vivem em condições lastimáveis, nas ruas da cidade.

 

É revoltante presenciarmos tanta crueldade praticada contra cães e gatos e nos sentimos impotentes, quando não podemos fazer nada para mudar esta situação.

 

Mas se pensarmos melhor, há coisas mínimas, que podemos sim fazer. Os animais não têm tantas necessidades quanto os humanos, então uma pequena ajuda, significa muito para eles..

Adotar um animalzinho é muito bom, para todos os envolvidos, por isto, incluo também na lista de ações. Mas há outras coisas que você pode fazer, com os recursos que tem, para dar a cães e gatos uma existência mais digna e feliz

  1. Importe-se!

Comece com o mínimo, trate bem, faça um carinho, dê um petisco, ajude o animal a atravessar a rua, para          evitar que seja atropelado. Se encontrar algum animal em situação de risco, informe aos Órgãos Protetores. caso de acidente, leve-o ao veterinário mais próximo. Se presenciar maus-tratos, denuncie.

 

  2. Alimente

Se você costuma encontrar animais em seu caminho habitual, comece a levar um pouco de ração na bolsa. Pratinhos de festa servirão bem, para deixar a ração para seu novo amigo.

 

  3. Doe

Nesta crise, os recursos dos cuidadores estão ainda mais escassos e qualquer doação é sempre bem-vinda. Além de dinheiro, você pode doar ração, vacinas, cobertores, etc.

 

  4. Não pode doar dinheiro, doe tempo

Há momentos em que uma ajuda, vale mais do que dinheiro. Cuidar de um abrigo ou ONG de proteção animal dá muito trabalho e nem sempre os colaboradores são suficientes. Então é motivo de comemoração quando surge mais um voluntário. Você pode atuar resgatando, transportando, alimentando, dando banho e tosa, divulgando nas redes sociais os animais disponíveis para adoção, também pode divulgar os eventos para adoção e para angariar fundos para a Instituição.

Então, cadastre-se e mãos à obra.

 

  5. Apadrinhe

Se você quer ajudar um animal, mas não tem como adotar, pode optar por apadrinhar. Sua ajuda será de grande valia para os Protetores de sua região, que tem um custo alto para manter os animais. Como padrinho, você fica responsável pela manutenção total ou parcial do animal que escolher, mas não precisará leva-lo para casa. Você tem a opção de levar seu afilhado para passear ou visita-lo semanalmente, oferecendo carinho e mimos.

 

  6. Ofereça um lar temporário

Você também pode oferecer um lar temporário ao seu amigo, enquanto ele não está consegue um lar permanente. Como tutor, você se responsabiliza pelos cuidados e tratamento do animal. Um lar temporário costuma receber ajuda financeira, para ajudar na manutenção do bichinho. Veja como pode oferecer seu lar na ONG protetora mais próxima de sua casa.

 

  7. Adote com responsabilidade

E por último, se você puder acolher um animal, oferecendo um lar a ele, será maravilhoso.

Mas lembre-se que adotar um animal, é  como adotar uma criança e deve ser encarado com muita seriedade, já que o animal será mais um integrante de sua família.

A adoção responsável implica em cuidar, proteger, vacinar, castrar, levar ao veterinário, oferecer ração de boa qualidade, levar para passear e, acima de tudo, dar muito, muito carinho. Em contrapartida, você terá um amigo leal, carinhoso e extremamente grato para toda a vida.

©2020 por Care Assistência e Refúgio.